EU SOU

Minha foto
São José dos Campos, SP, Brazil
“A vida é a descoberta de quem somos." contato: rosicleidedavid@ymail.com
Se até o SiLêNcIo guarda em si pAlAvRaS caladas. O que deve haver sem as palavras?

...Nos meus intervalos, eu passo por aqui...

Revelo a colheita do que plantei durante o dia,

Faço uma breve análise do que está em mim ou do que se passa ao meu redor,

Ou simplesmente deixo fragmentos de sonhos...

ATENÇÃO:


Os textos de minha autoria são protegidos pela lei n° 9.610 de 19-02-1998, “lei dos direitos autorais”.

Votem em Palavras Lapidam

sábado, 30 de abril de 2011

sempre tem um recomeço

Lembro até hoje como foi difícil a primeira vez que decidi que não deveríamos ficar mais juntos.
Talvez eu tenha lido isto em algum texto, mas tenho pensado cada vez mais que na verdade os opostos não se atraem. Acho que quando somos novos, naquela fase docilmente imatura da adolescência procuramos pelos caminhos mais difíceis, queremos mesmo é complicar. Acho que os opostos tem a tendência de viver em pé de guerra e a paz é o que aprendemos a procurar com mais intensidade conforme vamos amadurecendo.
Hoje em dia, procuro afinidades e percebo o quanto elas são importantes, para que possamos ter o direito de sermos nós mesmos e ter o nosso espaço sadio dentro de nossas relações.
E foi assim, percebendo que tínhamos projeções diferentes para as nossas vidas, que queríamos seguir por caminhos que não nos levariam ao mesmo lugar, entendi que era necessário o rompimento.
Lembro como foi difícil dizer que apesar de te amar eu ficaria melhor sem você. É o tipo de frase que dizemos uma vez na vida, e esta vez é o suficiente para não nos esquecermos do impacto que ela causa em nós.
Depois daquela decisão, seguiram- se noites infinitas, que não pareciam acabar e que deixavam os meus olhos machucados de um choro que não cessava. Após algumas semanas e alguns quilos a menos, estava novamente a sua frente, ignorando o fato de que os nossos caminhos nos levariam a lugares que nos distanciariam um do outro. Estava eu ali, sem garantias, apenas com a certeza do meu amor e a possibilidade de cada encontro ser realmente a despedida.
Me despedi aos poucos, sabendo que um dia não haveria o reencontro.
Eu não disse estou indo embora, apenas parti. Ou talvez, tenha sido você, que com a mesma sutileza foi embora e não bateu a porta, silenciosamente para não me acordar enquanto não olhava pra trás.
Pra minha surpresa, o mundo não acabou ou deixei de existir pelo fato de um grande amor não ter podido ficar. Com o passar do tempo a memória de que eu existia antes de te conhecer ficou cada vez mais nítida, me levando a perceber que eu poderia prosseguir, recomeçar sem você.
Novos tempos, e eu novamente me despedindo de outra pessoa, mas o mais estranho é que parece que estou me despedindo mais uma vez de você. Motivo? Como estar com alguém que não olha para a mesma direção? Personalidades são diferentes e essa diferença nos amadurece, mas afinidades são importantes para a conquista da cumplicidade, do companheirismo, da confiança de que haverá o abraço da compreensão nos momentos difíceis.
Eu, com meu jeito de olhar, e ele com as suas percepções, nossas particularidades, mas querendo chegar ao mesmo lugar, preferencialmente de mãos dadas e com aquele sorriso de quem é livre e está aonde quer ficar. Quando isto acontecer, não precisarei me despedir.
Despedidas me lembram você, por ter aprendido que de um amor não se pode despedir bruscamente, o adeus deve ser dito baixinho, com a mesma delicadeza que um dia em nossa vida chegou deve partir.

Justificando agora o nome do texto que é "sempre tem um recomeço", é que não importa se a vida é feita das dores de despedidas, quando se admite que ela também é feita da alegria dos encontros. O que é motivo suficiente para querer seguir em frente e acreditar naquele amor com o qual sonhamos.


Rosicleide David

2 comentários:

  1. "..Como estar com alguém que não olha para a mesma direção? Personalidades são diferentes e essa diferença nos amadurece, mas afinidades são importantes para a conquista da cumplicidade, do companheirismo, da confiança de que haverá o abraço da compreensão nos momentos difíceis..." (Rosicleide David)

    Oi querida Rose..puxa seu texto me fez chorar!!
    É tão ruim perceber em um certo momento que por causa das diferenças não dá mais para continuar. Como vou viver, casar ou sonhar ao lado de alguém ou de pessoas que desejam ir para caminhos diferentes do meu..
    Seu texto me fez lembrar da decisão que dividiu minha vida em duas partes, mas como você disse lá no inicio os opostos não se atraem. E hoje busco por pessoas tanto amigos quanto um amor mais iguais a mim, mais simples e mais perto do que eu sou.
    Gostei demais Rose..parabéns!! Lindo este texto e que bom saber que sempre há um recomeço!!
    Um grande beijo pra ti e muito obrigada por este compartilhar.
    Um forte abraço (Espero que você consiga sentir..rsrs)
    Mia.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto Rosi... me tocou mto nesse momento.
    Gde beijo
    Rita

    ResponderExcluir